h092929-f00000-l367-2000x0

Chineses mostram carros a energia solar

A empresa chinesa Hanergy, que trabalha em energias renováveis (solar, eólica e hídrica), apresentou quatro protótipos de carros elétricos com painéis solares fotovoltaicos.

Estes automóveis podem ser carregados enquanto estão a ser conduzidos ou também podem ser ligados a estações de eletricidade para viagens mais longas ou quanto o sol estiver nublado. O objetivo é iniciar a produção em série nos próximos três anos.

Ao todo, quatro propostas de automóveis diferentes com configurações distintas: Solar O, Solar L, Solar A e Solar R. Um utilitário, um monovolume, um familiar e um desportivo.

Todos têm como curiosidade o facto de poderem ser carregados em andamento com a luz solar, além do carregamento tradicional através da rede elétrica.

No Solar A, por exemplo, é possível percorrer até 80 km com o recurso apenas aos painéis solares. Combinado com a energia acumulada nas baterias, a autonomia pode chegar aos 350 km por carga.

Contudo, o carregamento via painéis solares colocados no tejadilho e capô do carro precisam entre 5 a 6 horas para carregarem, o o que “corresponde às necessidades das viagens em cidade em circunstâncias normais”, refere a Hanergy em comunicado.

A superfície dos painéis solares pode ainda ser aumentada quando o veículo está parado para permitir um carregamento mais rápido. Existem duas maneiras de o fazer: utilizando temporariamente as janelas como painéis extras, ou desdobrando os painéis solares do tejadilho (estilo estação espacial).

Desta forma, os painéis do Hanergy Solar A podem ser alargados a 7,5 metros quadrados, permitindo uma carga solar completa em cinco horas.

Para já não há preços para a sua comercialização, mas a Hanergy tem como objetivo apresentar soluções comercializáveis nos próximos três anos.

2016-09-01t095431z_354504288_d1betyttidab_rtrmadp_3_britain-eu-pmi

Venda de veículos novos recua 11% em agosto, diz Fenabrave

As vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no Brasil recuaram 11,26% em agosto, na comparação com o mesmo mês de 2015, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (1) pela federação dos concessionários, a Fenabrave.
Foram emplacados 183,9 mil veículos novos, ante 181,4 mil em julho, o que representa uma leve alta de 1,37% na comparação com o mês imediatamente anterior.
Ainda tímida, esta é a 4ª alta consecutiva sobre o mês anterior, e o melhor resultado de 2016. Desde maio, as vendas apresentam pequena melhora mês a mês.
Porém, a média de vendas por dia útil, um indicador chave da demanda do setor, recuou no comparativo entre agosto, que teve 23 dias úteis para emplacamentos, e julho, que teve 21. A média no período caiu de 8,6 mil para 8 mil licenciamentos, informou a agência Reuters.
O mercado brasileiro de modelos novos ainda acumula queda de 23% de janeiro a agosto, com 1,34 milhão de unidades comercializadas, ante 1,75 milhão no mesmo período do ano passado.

Marcas

Na briga para ver quem cai menos, a Chevrolet está levando a melhor, somando 16,7% das vendas de carros e comerciais leves de janeiro a agosto.
Em segundo lugar, a ex-líder Fiat tem agora 15,49%, mas tenta se recuperar com o crescimento do pequeno Mobi e da picape Toro. A Volkswagen é a terceira com 12,8% do mercado, seguida por Hyundai (9,89%), Toyota (9,17%), Ford (8,81%) e Renault (7,46%).