Sem categoria

Capturar

Toyota avalia criar picape “mini-Hilux” para enfrentar Toro e Maverick

Toyota Hilux GR-Sport 2023

O segmento das picapes ganhou um novo espaço com Renault Oroch e Fiat Toro, fazendo tanto sucesso que até em outros países começou a ganhar alguns representantes como Ford Maverick e Hyundai Santa Cruz. Enquanto a Toro vende horrores no Brasil, a Maverick e a Santa Cruz tem filas de espera nos EUA, então faz sentido que outras marcas comecem a olhar para esta categoria.

É neste cenário que surgem informações de que a Toyota estaria discutindo internamente  sobre a possibilidade de ter uma opção abaixo da Hilux no mercado global. É um rumor que já havia circulado pela mídia, apontando que teria a plataforma do RAV4, a TNGA-K. Só que isso levaria mais um tempo, pois seria feita com base na nova geração do SUV, que ainda tem mais uns dois anos de mercado pela frente.

Só que agora não é mais um rumor, pois a própria marca admite que faz estudos sobre uma nova picape. Jack Hollis, vice-presidente sênior de operações automotivas da Toyota North America, conversou com o Automotive News e disse que “há espaço” na linha da fabricante para um modelo abaixo da Tacoma (uma picape média do tamanho da Hilux vendida apenas nos EUA).

“A questão é: como iremos preencher [este espaço]?”, explica Hollis. O executivo diz que a Toyota continua a olhar para o segmento, mas dá a entender que levará um tempo para que qualquer decisão seja tomada, pois “continuaremos a observar por muito tempo”.

“É inegável que aqueles produtos tem um espaço no mercado. E quão grande aquele segmento ficará? Eu não sei, porém é algo que nós precisamos estar de olho e descobrir se é uma área em que devemos participar”, adiciona Cooper Ericksen, vice-presidente de planejamento de produto e estratégia da Toyota North America.

Com os planos da Toyota de oferecer pelo menos uma versão eletrificada para todos os seus carros, esta nova picape terá que chegar com, no mínimo, uma variante com sistema híbrido-leve de 48V. Pode ser melhor, pois o RAV4 já oferece configurações híbridas de verdade e até híbridas plug-in, então a caminhonete deve aproveitar a mesma mecânica do SUV – ajudando a enfrentar a Ford Maverick nos EUA, que tem feito sucesso na versão híbrida.

 

2021-ford-bronco-sport-3-copy-768x477-1

Ford Bronco Sport: conheça o SUV que deverá substituir o Fusion no Brasil

SUV médio usa plataforma do Escape, mas tem visual bruto como o Renegade e deve chegar importado do México

 (Reprodução/Internet)

Flagrado camuflado em diversos lugares pelo mundo (inclusive no Brasil), o SUV médio que a Ford vem testando para brigar na categoria do Jeep Compass teve imagens externas vazadas na internet. E elas confirmam o seu nome de produção: Bronco Sport.

A apresentação oficial do SUV nos Estados Unidos está prevista para abril.

As fotos postadas no fórum BroncoSportForum revelam o estilo “parrudo”, que chega a lembrar a primeira geração do Land Rover Freelander pela silhueta bem definida e o teto elevado pintado na cor preta desde as colunas.

 (Reprodução/Internet)

Na dianteira, o destaque é a grade horizontal com a inscrição “Bronco” abrigando os faróis. O emblema do oval azul da Ford aparece apenas na tampa traseira, cujo vidro aparenta ter abertura independente.

Embora utilize a plataforma C2 do novo Escape, de vocação mais urbana, o Bronco Sport apostará numa proposta mais off-road para atrair clientes que gostam dessa pegada mais aventureira.

 (Reprodução/Internet)

As motorizações cotadas para ele são duas: o 1.5 EcoBoost de três cilindros e 182 cv de potência e 2.0 turbo quatro-cilindros de 250, cv além de uma 2.5 híbrida.

Conhecido internamente pelo codinome CX430, o Ford Bronco Sport (que chegou a ser chamado Maverick) será produzido em Cuatitlán, no México, na fábrica que era responsável pela produção do Fiesta até o final de 2018.

Fonte: Quatro Rodas

toyota-raize-imagens-vazadas

Toyota Raize (ou Daihatsu Rocky, se preferir) já está registrado no Brasil

Futuro SUV compacto nacional deverá chegar às concessionárias apenas em 2021 e será feito em Sorocaba (SP)

 Raize exibe grade hexagonal com o logo na parte superior da dianteira

Raize exibe grade hexagonal com o logo na parte superior da dianteira (Reprodução/Internet)

O Toyota Raize está cotado para ser feito no Brasil e, por coincidência ou não, algumas peças do SUV – que também é vendido em outros países como Daihatsu Rocky – já foram registradas pela empresa no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

Por enquanto, as imagens estão com código de patente japonês, o que pode indicar que o registro é mera formalidade ou que ainda haverá mudanças em relação à versão nacional. Mas, pelas imagens, já dá para ver os faróis de leds e o para-choque frontal.

 Toyota Raize tem as linhas do Daihatsu Rocky e a frente do RAV4

Toyota Raize tem as linhas do Daihatsu Rocky e a frente do RAV4 (Reprodução/Internet)

Apresentado durante o Salão do Automóvel de Tóquio, no Japão, há cerca de seis meses, o modelo foi desenvolvido sobre uma plataforma específica para mercados emergentes, DNGA, que é uma versão simplificada da TNGA utilizada pelo nosso Corolla.

 Para-choque dianteiro já está registrado no Brasil

Para-choque dianteiro já está registrado no Brasil (INPI/Reprodução)

Para o mercado japonês, o SUV compacto terá 3,99 m de comprimento; 1,69 m de largura e 1,62 de largura. Mas, por conta da estrutura modular, é possível que o entre-eixos aumente caso o Raize seja feito por aqui, a exemplo do Volkswagen T-Cross.

 Faróis patenteados no Inpi têm iluminação por leds

Faróis patenteados no Inpi têm iluminação por leds (INPI/Reprodução)

Na apresentação, o Toyota (ou Daihatsu) foi anunciado apenas com motor 3-cilindros 1.0 com 98 cv de potência e sempre associado ao câmbio automático CVT. Mas, como não existe essa opção por aqui, o modelo poderia ter os 1.3 e 1.5 de Etios e Yaris.

Fonte: Quatro Rodas

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

SINCODIV – Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Estado da Bahia

cnpj 15.244.213/0001-36 código sindical da entidade 002.080.15027-2

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA PARA DELIBARÇÃO SOBRE OS TERMOS DA CONVENÇÃO COLETIVA 2019/2020, A SER ASSINADA COM O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ADMINISTRADORAS DE CONSÓRCIOS E VENDEDORES DE CONSÓRCIOS, EMPREGADOS E VENDEDORES EM CONCESSIONÁRIAS DE VEÍCULOS, DISTRIBUIDORAS DE VEÍCULOS E CONGÊNERES NO ESTADO DA BAHIA – SINDCON-BA – E A FEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM CONCESSIONÁRIAS E DISTRIBUIDORAS DE VEÍCULOS – FENATRACODIV.

 

O Presidente do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Estado da Bahia – SINCODIV, consoante as determinações estatutárias e em cumprimento ao disposto nos artigos do artigo 611 e 612 da CLT, vem, pelo presente edital, CONVOCAR todas as empresas associadas para participarem da Assembleia Geral Extraordinária que se realizará no dia 19 de setembro de 2019, na Avenida Juracy Magalhães Júnior, n.° 66, salas 201/202, Rio Vermelho, Salvador Bahia, CEP.: 41940-060, às 18h00 em primeira convocação, com a presença de, no mínimo, 2/3 dos associados e, às 19h00, em segunda e última convocação, com no mínimo 1/3 dos associados, para discutirem e deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1) concessão de poderes para negociação e assinatura da convenção coletiva a ser realizada com o SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ADMINISTRADORAS DE CONSÓRCIOS E VENDEDORES DE CONSÓRCIOS, EMPREGADOS E VENDEDORES EM CONCESSIONÁRIAS DE VEÍCULOS, DISTRIBUIDORAS DE VEÍCULOS E CONGÊNERES NO ESTADO DA BAHIA – SINDCON-BA – E A FEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM CONCESSIONÁRIAS E DISTRIBUIDORAS DE VEÍCULOS – FENATRACODIV, dentre os quais, reajuste salarial, piso salarial, abertura aos domingos e feriados, clausula pacote de benefícios, para o período 2019/2020. Na hipótese de a empresa associada vir a ser representada por preposto, o mesmo deverá comparecer à Assembléia munido de procuração, com firma reconhecida, na qual deverão ser indicados os poderes especiais de representação.

.

Salvador, 11 de setembro de 2019

 

Raimundo Valeriano Santana

Presidente do SINCODIV

 

35_novo_onix_12_-e1568378870534

Novo Chevrolet Onix hatch: confira todas as versões, equipamentos e preços

Modelo chegará às lojas em novembro com seis versões distintas e 13 pacotes de equipamentos diferentes

 Hatch chegará às lojas quase dois meses depois do sedã

Hatch chegará às lojas quase dois meses depois do sedã (Divulgação/Chevrolet)

A Chevrolet está divulgando a conta gotas as informações dos seus novos compactos. Após QUATRO RODAS antecipar o pacote de equipamentos de todas as versões do Onix Plus (o sedã, antigo Prisma), agora traz preços e equipamentos de todas as versões do hatch, que só chegará às concessionárias em novembro.

Nas versões de entrada, 1.0 e LT 1.0, o motor será o novo três cilindros 1.0 de 82 cv e 10,6 mkgf quando com etanol (contra os 80 cv e 9,8 mkgf do antigo 1.0 de quatro cilindros). As versões seguintes usam o motor Ecotec 1.0 Flex Turbo, que não tem injeção direta, e gera 116 cv e 16,8 mkgf, em substituição ao antigo 1.4 SPE/4 de 106 cv e 13,9 mkgf.

 Só a versão Premier tem projetor nos faróis

Só a versão Premier tem projetor nos faróis (Divulgação/Chevrolet)

Onix 1.0 manual – R$ 48.490

  • Seis airbags (frontais, laterais e de cortina);
  • Assistente de partida em rampa
  • Controle de estabilidade e tração;
  • Entradas USB dianteira e traseira
  • Aviso sonoro do cinto de segurança;
  • Cintos de segurança traseiros laterais e central de três pontos;
  • Controle eletrônico de estabilidade e tração;
  • Sistema de fixação de cadeiras para crianças (“Isofix e Top Tether”);
  • Sistema de monitoramento de pressão dos pneus;
  • Ar-condicionado;
  • Computador de bordo;
  • Encosto de cabeça do banco traseiro para terceiro passageiro;
  • Rádio AM/FM stereo, MP3/WMA player, Bluetooth e entrada USB dupla (apenas carregamento), entrada USB dupla para o banco traseiro (apenas carregamento);
  • Conjunto de alto-falantes – 4 unidades
  • Desembaçador elétrico temporizado do vidro traseiro;
  • Direção Elétrica Progressiva;
 Novo motor 1.0 turbo tem injeção multiponto convencional

Novo motor 1.0 turbo tem injeção multiponto convencional (Divulgação/Chevrolet)

Onix LT 1.0 manual – R$ 51.590

Soma à lista:

  • Central multimídia MyLink;
 Interior do novo Chevrolet Onix Premier

Interior do novo Chevrolet Onix Premier (Divulgação/Chevrolet)

Onix LT1 1.0 manual – R$ 53.790

Soma à lista:

  • Abertura da porta e partida do motor sem chave;
  • Acendimento automático dos faróis;
  • Câmera de ré;
  • Carregador sem fio para smartphones;

Onix LT2 1.0 manual – R$ 54.625

Soma à lista:

  • Sistema OnStar;
  • WiFi
 Bancos dianteiros têm encosto inteiriço

Bancos dianteiros têm encosto inteiriço (Divulgação/Chevrolet)

Onix LT3 1.0 manual – R$ 55.590

Soma à lista:

  • Faróis de neblina;
  • Rodas de liga leve aro 15″
 Central multimídia MyLink teve sua interface atualizada

Central multimídia MyLink teve sua interface atualizada (Divulgação/Chevrolet)

Onix 1.0 Turbo automático – R$ 55.590

  • Seis airbags (frontais, laterais e de cortina);
  • Assistente de partida em rampa
  • Controle de estabilidade e tração;
  • Entradas USB dianteira e traseira
  • Aviso sonoro do cinto de segurança;
  • Cintos de segurança traseiros laterais e central de três pontos;
  • Controle eletrônico de estabilidade e tração;
  • Sistema de fixação de cadeiras para crianças (“Isofix e Top Tether”);
  • Sistema de monitoramento de pressão dos pneus;
  • Ar-condicionado;
  • Computador de bordo;
  • Encosto de cabeça do banco traseiro para terceiro passageiro;
  • Rádio AM/FM stereo, MP3/WMA player, Bluetooth e entrada USB dupla (apenas carregamento), entrada USB dupla para o banco traseiro (apenas carregamento);
  • Conjunto de alto-falantes – 4 unidades
  • Desembaçador elétrico temporizado do vidro traseiro;
  • Direção Elétrica Progressiva;
  • Transmissão automática de seis marchas
 Onix tem apoio de braços, item muito requisitado em carros automáticos

Onix tem apoio de braços, item muito requisitado em carros automáticos (Divulgação/Chevrolet)

Onix 1.0 LT Turbo manual – R$ 57.590

Soma à lista:

  • Faróis de neblina;
  • Rodas de liga leve aro 15;
  • OnStar
  • WiFi

Onix LT 1.0 Turbo automático – R$ 62.890

Soma à lista:

  • Controle de velocidade de cruzeiro;
  • Volante com revestimento premium;
  • Câmbio automático de seis marchas
 Mesmo versões com motor aspirado de 82 cv podem ter partida sem chave

Mesmo versões com motor aspirado de 82 cv podem ter partida sem chave (Divulgação/Chevrolet)

Onix LTZ 1.0 Turbo manual – R$ 60.990

Soma à lista:

  • Abertura de porta e partida sem chave;
  • Acendimento automático dos faróis;
  • Câmera de ré;
  • Carregador sem fio para smartphones
 Versão Premier tem rodas aro 16″

Versão Premier tem rodas aro 16″ (Divulgação/Chevrolet)

Onix LTZ 1.0 Turbo automático – R$ 66.290

Soma à lista:

  • Controle de velocidade de cruzeiro;
  • Volante com revestimento premium;
  • Transmissão automática de seis marchas
 Lanternas de led também são exclusivas da versão mais cara

Lanternas de led também são exclusivas da versão mais cara (Divulgação/Chevrolet)

Onix Premier 1 1.0 Turbo automático – R$ 69.990

Soma à lista:

  • Rodas de liga leve aro 16″;
  • Faróis com projetores;
  • Luzes de posição e lanternas de led;
  • Bancos parcialmente revestidos de material tipo couro

Fonte: QuatroRodas

pic_gem03

Chefão da GM confirma: Chevrolet estuda picape rival para a Fiat Toro

Carlos Zarlenga, presidente da marca na América do Sul, apontou que empresa cogita lançar um modelo entre S10 e Montana

 Picape compacta-média da GM terá visual inspirado no conceito FNR-X

Picape compacta-média da GM terá visual inspirado no conceito FNR-X (Du Oliveira/Quatro Rodas)

Quem lê QUATRO RODAS já sabe há alguns meses que a GM prepara uma picape compacta-média para rivalizar com a Fiat Toro.

Pois durante o evento de lançamento do Chevrolet Onix Plus, o sucessor do Prisma, e de apresentação da nova geração do Onix hatch, o presidente da empresa para a América do Sul, Carlos Zarlenga, confirmou que a fabricante tem mesmo planos de ingressar no segmento.

Em entrevista concedida a um pequeno grupo de jornalistas, o executivo afirmou que a plataforma GEM, desenvolvida em parceria com a chinesa SAIC, dará origem a “uma série de novos produtos”.

A maioria substituirá veículos de segmentos nos quais a marca já atua. Entretanto, ao ser questionado por nossa reportagem se havia a chance de ingressar em um espaço até então inexplorado pela companhia, Zarlenga afirmou:

“Estamos muito atentos a esse mercado de picapes entre as médias, como a S10, e as compactas”, disse. “É um segmento vibrante e temos bastante interesse em competir nele”, completou.

Conforme já adiantamos, o projeto da picape compacta-média da GM deve ficar pronto em 2021 e ser fabricado em São Caetano do Sul (SP), junto com a nova geração do Tracker e um SUV de sete lugares, também apontado em primeira mão por QUATRO RODAS.

Sob o cofre, deve usar o motor 1.4 quatro-cilindros turbo flex de 153 cv que equipa os atuais Cruze e Tracker, além de uma opção a diesel herdada da S10.

O visual teria traços inspirados no Tracker e nos SUVs americanos Trailblazer (que nada tem a ver com o nosso Trailblazer) e Blazer. Com sua chegada, é bem possível que a compacta Montana seja retirada de linha.

Mais SUVs

 Nova geração do Chevrolet Tracker

Nova geração do Chevrolet Tracker (Divulgação/Chevrolet)

Zarlenga também apontou que, assim como a Volkswagen, a GM deve apostar numa fragmentação dos segmentos de atuação dos SUVs.

“É uma tendência que se ramifique o mercado de SUVs, assim como o mercado de compactos B, responsável por 50% do mercado brasileiro, foi segmentado um dia com hatches, sedãs, peruas etc”, comparou.

Por enquanto, sabe-se que a Chevrolet lançará no Brasil o Tracker e um utilitário esportivo de sete lugares, derivado da mesma base, que deve chegar para assumir o lugar da minivan Spin.

Fonte: Quatro Rodas

Convocação :: Assembléia Geral Extraordinária

Ilmo. Sr(a).

Associado do Sincodiv Ba.

 

Prezado(a) Senhor(a),

 

O Presidente do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado da Bahia – SINCODIV, Sr. Raimundo Valeriano Santana, convoca V.S.ª para a Assembléia Geral Extraordinária desta Entidade, que se realizará no próximo dia 10 de setembro de 2019, às 18h00 e 19h00, respectivamente em 1ª e 2ª Convocações, na sua sede social, na Avenida Juracy Magalhães Júnior, n.º 66, salas 201/202, Rio Vermelho, Salvador, Bahia, CEP.: 41940-060, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia:

 

  1. Inclusão da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia – Fecomércio BA – e da Confederação Nacional do Comércio – CNC -, como coordenadoras em grau superior do plano do comércio (Portaria n.º 501/2019, do Ministério da Justiça e Segurança Pública);

 

  1. Prorrogação do término dos mandatos da atual Diretoria, Conselho Fiscal e Delegados Representantes junto ao Conselho de Representantes da Fecomércio BA, e respectivos Suplentes, de 07/11/2020 para 25/01/2022, em obediência à sincronia de mandatos (Resolução CNC/CR n.º 15/2000);

 

  1. Regulamentação da Contribuição Assistencial (Resolução CR/CNC n.º 047/2019); e

 

  1. Reforma do Estatuto da Entidade.

 

 

Cordialmente,

 

 

Frutos Gonzalez Dias Neto

1ª Diretor Secretário

fiat-renault

Fiat propõe fusão com Renault para criar terceiro maior grupo automotivo

Proposta da FCA destaca que as duas empresas seriam complementares, tanto em produtos como em mercados onde atuam

 Acordo prevê sinergia de tecnologias entre a FCA e a Renault

Acordo prevê sinergia de tecnologias entre a FCA e a Renault (arte/Quatro Rodas)

A Fiat Chrysler (FCA) entregou à Renault nesta segunda-feira uma proposta de fusão. Juntas, as duas empresas podem formar a terceira maior fabricante de automóveis do mundo, atrás apenas de Volkswagen e Toyota.

Nenhuma empresa seria majoritária no negócio. 50% do grupo formado pelas duas companhias pertenceria aos acionistas da FCA, enquanto a outra metade ficaria sob responsabilidade dos acionistas da Renault (incluindo o governo francês, que detém 15% da marca atualmente).

A sede do novo grupo não ficaria na Itália ou na França, mas sim na Holanda. Mas seria listada nas bolsas de Milão, Paris e Nova York.

Na proposta entregue, a FCA diz que a fusão não prevê cortes de empregos nem fechamento de fábricas, mas sim uma economia com investimentos eficientes em plataformas de veículos globais, conjuntos mecânicos e tecnologias.

A FCA ainda ressalta que as duas empresas seriam complementares, tendo em seu portfólio: marcas de luxo, como Maserati e Alfa Romeo; marcas generalistas, como Dacia, Lada, Fiat e Renault; além de Jeep, forte com SUVs; e RAM, voltada a picapes e veículos comerciais.

Além disso, enquanto a Renault tem forte presença na Europa, Rússia, África e no Oriente Médio, a FCA é forte na América do Norte (onde a Renault não atua) e líder na América Latina.

Também é destacado que a FCA vem investindo em condução autônoma, com parcerias com Waymo, BMW e Aptiv, enquanto a Renault tem experiência com tecnologias de carros elétricos – é ela quem lidera o mercado de elétricos na Europa.

O Conselho de Administração da Renault se reuniu nesta segunda-feira e “decidiu estudar com interesse a oportunidade de tal fusão”.

 

Fonte: Quatro Rodas

mant7896-cr2

Chevrolet confirma início das vendas do Bolt em outubro por R$ 175 mil

Elétrico enfim chegará ao mercado brasileiro quase um ano após ser exibido no Salão de SP, mas mantendo o preço prometido na mostra

Seis meses depois de apresentar o monovolume elétrico no Salão do Automóvel de São Paulo, a General Motors enfim apontou quando o Bolt começará a ser efetivamente vendido no Brasil: outubro deste ano.

De acordo com a fabricante, o modelo 100% movido a eletricidade será comercializada em versão única de acabamento, a de topo Premier, por R$ 175 mil. Esse valor já fora anunciado no próprio salão.

Chevrolet Bolt EV

Chevrolet Bolt EV será vendido apenas na versão de topo Premier

Chevrolet Bolt EV será vendido apenas na versão de topo Premier (João Mantovani/Quatro Rodas)

Dotado de uma bateria de íons de lítio de 60 kWh, formada por 96 módulos distribuídos em três células, o Bolt promete uma autonomia de até 383 km no ciclo EPA, usado para medição nos Estados Unidos.

Motor do Bolt gera 203 cv e 36,7 mkgf

Motor do Bolt gera 203 cv e 36,7 mkgf (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Em uma hora é possível fazer a recarga rápida de 80% da energia a 50 kWh. Freios regenerativos permitem a expansão (ou a sobrevida) da carga na bateriam cuja garantia é de oito anos.

Interior do Bolt combina partes pretas e cinza-claro

Interior do Bolt combina partes pretas e cinza-claro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O motor elétrico traciona as rodas dianteiras com 203 cv de potência e 36,7 mkgf de torque.

Chevrolet Bolt EV Além da velocidade, o painel mostra autonomia, consumo instantâneo e luzes dos sistemas de segurança

Além da velocidade, o painel mostra autonomia, consumo instantâneo e luzes dos sistemas de segurança (João Mantovani/Quatro Rodas)

Fonte: Quatro Rodas

flagra-chevrolet-onix-plus-prisma-2020-7

Exclusivo: desvendamos a traseira (e o nome) do Chevrolet Onix 2020

Hatch chega este ano e estreia nova plataforma e motores turbo

 Novo Onix Plus não terá prolongamento das lanternas na tampa do porta-malas

Novo Onix Plus não terá prolongamento das lanternas na tampa do porta-malas (Thiago Dantas/Quatro Rodas)

Já sabemos como será o visual dos novos Chevrolet Prisma e Tracker, mas o design do Onix 2020, cabeça da nova família de compactos da GM, ainda era um mistério – que acaba de ser desvendado pelos leitores de QUATRO RODAS.

Recebemos por nosso WhatsApp, de forma quase simultânea, as primeiras imagens da nova geração do Onix com camuflagem mais leve clicado pelos leitores Álvaro Almeida e Thiago Dantas.

Também recebemos imagens mais reveladoras do sedã Prisma, feitas pelo leitor Fernando Molinari.

 Hatch tem exatamente a mesma frente do Prisma chinês

Hatch tem exatamente a mesma frente do Prisma chinês (Thiago Dantas/Quatro Rodas)

A dianteira do hatch, sem surpresa, é a mesma do Prisma. A traseira, porém, adota lanternas pequenas e que não invadem a tampa do porta-malas, seguindo um estilo bem europeu.

O modelo usará, junto do sedã e SUV, a inédita plataforma modular GEM, desenvolvida em parceria com a chinesa SAIC. Ela estreia no Brasil junto a uma nova família de motores de três cilindros turbo.

 Lanterna pequena não foge ao estilo do Onix atual

Lanterna pequena não foge ao estilo do Onix atual (Thiago Dantas/Quatro Rodas)

É a primeira vez na curta história do Onix que o modelo receberá tantas mudanças. Isso fará, inclusive, com que ele ganhe um sobrenome para se distanciar do modelo atual.

Plus a mais

Segundo fontes ouvidas por QUATRO RODAS, o novo Onix ganhará o nome “Plus”. A nomenclatura, inclusive, está registrada desde ano passado no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), conforme constatado pelo Motor1.

E, confirmando especulações, o Onix Plus irá conviver com o Joy de primeira geração e pré-facelift – que é feito em São Caetano do Sul (SP) e não em Gravataí (RS), como as versões LT e LTZ reestilizadas. Estas serão substituídas pelo futuro Onix Plus.

 Protótipo roda com rodas grandes, de pelo menos aro 16

Protótipo roda com rodas grandes, de pelo menos aro 16 (Álvaro Almeida/Quatro Rodas)

O hatch, que chegará às lojas em julho, será oferecido nas versões LS, LT e a topo de linha Premier, além da futura versão esportiva RS. Os motores serão sempre 1.0 de três cilindros, com opção aspirada e turbo.

O câmbio manterá as opções manual ou automática convencional, com conversor de torque, ambas com seis marchas.

 Prolongamento das lanternas do novo Prisma é funcional

Prolongamento das lanternas do novo Prisma é funcional (Fernando Molinari/Quatro Rodas)

Enquanto o Onix substituirá somente seu antecessor homônimo, o Prisma, que tem lançamento previsto para setembro, irá crescer para também entrar no lugar do Cobalt – assim como a Fiat fez com o Cronos, que substituiu o Linea e as versões mais caras do Grand Siena.

Isso fez com que a GM precisasse deixar o modelo mais refinado, o que incluiu o uso de lanternas bipartidas com o elemento fixado na tampa do porta-malas funcional.

 Novo Prisma tem entre-eixos de 2,60 m (contra 2,52 m do antecessor)

Novo Prisma tem entre-eixos de 2,60 m (contra 2,52 m do antecessor) (Fernando Molinari/Quatro Rodas)

Fonte: QuatroRodas